• Resenha Blocskin Chá Verde Protetor Solar

    Oi, capis! Trouxe um post legal hoje: resenha Blocskin Chá verde, um protetor solar que é comum de se achar em farmácias de Brasília e Goiás.

    Aliás, se você é de outra região e já viu esses produtos nas prateleiras, conta pra gente!

    Blocskin Chá Verde
    Blocskin Chá Verde

    Eu comprei esse protetor como alternativa pro meu uso diário. Nem sempre consigo achar o da La Roche que gosto tanto (clique), e queria testar algo novo pra contar pra vocês.

    Ele tem um formato de bisnaguinha que aproveita bem o produto. São 80 g, uma viscosidade de creme e espalhabilidade boa. Ah, não é resistente à água.

    Blocskin Chá Verde

    O fabricante diz:

    “O BLOCSKiN FPS 40 CHÁ VERDE Facial proporciona ampla proteção UVA+UVB. Possui toque ultra seco, conferindo rápida secagem. Com textura leve e macia, não obstrui os poros (não comedogênico). Protege a pele sem deixá-la oleosa. Contém Extrato de Chá Verde, agente antioxidante que inibe a ação dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce.”

    O que eu achei:

    Quando testei as primeiras vezes, achei ok. Uma opção bacana pra comprar, não irritava meus olhos e nem deixava uma sensação oleosa na minha pele mista. MAAAS também não segurava a oleosidade, apenas não a aumentava.

    Porém, eu fui pra uma cidade bem quente nas férias, onde a umidade do ar é bem mais alta do que a de Brasília e, para minha surpresa, o resultado foi desastroso. Ele induzia oleosidade, deixou minha pele bem estranha e até me rendeu algumas acnes.

    Fiquei bastante chateada porque eu poderia ter indicado falando bem, mas notei que isso depende muito do clima da sua cidade e da sua pele.

    A indicação dele é clara: “(…) para pele oleosa, mista ou normal.” É, se sua pele é oleosa, não passe perto dele senão você vai se decepcionar.

    Agora, se ela tende a ser seca, ok, vale a pena o quebra galho.

    Na foto abaixo: Pele sem nada, recém aplicado e produto seco, respectivamente.

    Blocskin Chá Verde

    De 0 a 10 eu daria um 6 esforçado. Não compraria novamente pelo valor que chega a R$58,00 nas farmácias. Vi nessa loja online com o preço um pouco mais alto (clique).

    Uma pena, gosto de indicar produtos brasileiros, talvez eles tenham que melhorar mais a composição para ter essa indicação para quem sofre com oleosidade.

    Até mais!

    Balm Kiss Me Sephora Candy Apple

    Vocês sabem que eu sou apaixonada por tints e balms, né? Vivo procurando produtos coreanos pra deixar os lábios rosinhas. O Balm Kiss Me Sephora Candy Apple veio pra salvar meu bolso de encarar comprar coisa coreana nessa época do ano.

    É, isso mesmo! Encarar encomenda no Ebay no final de ano é suicídio, porque os produtos importados só chegam depois do carnaval HAHAHA. Meus produtos coreanos eu sempre compro de fora porque são muuuuito baratos, e não existem muitas lojas à pronta entrega aqui no Brasil.

    Balm Kiss Me Sephora Candy Apple
    Balm Kiss Me Sephora Candy Apple

    Eu tava namorando uma paleta CARÍSSIMA da TheBalm porque a Suelen me passou vontade com a dela, mas R$189,00 NÃO FAZEM PARTE DA MINHA REALIDADE, BRASIL!

    Ainda bem que foi passando pelas prateleiras da Sephora que vi esse bonitinho.

    Pode ver que já usei bastante essa semana, né? Não consigo parar de usar, tô muito xonas HAHAHAH. Ele é redondinho, tem uma embalagem resistente e bacana pra levar na bolsa.

    É muito fácil segurar e aplicar. Eu gosto de esfumar com os dedos pra ficar mais natural ainda, mas também pra usar ele mais concentrado.

    Segundo o fabricante:

    “Um batom balm perfumado ideal para beijar, com cor sutil ou sem cor, que oferece até quatro horas de hidratação!

    O batom Kiss me Balm apresenta uma cremosa fórmula para os cuidados do lábio. Escolha entre cinco cores exuberantes e um tom translúcido, cada um com sua própria fragrância correspondente. O aplicador em forma de cúpula torna fácil aplicar e reaplicar o batom para lábios hidratados durante todo o dia.”

    Balm Kiss Me Sephora Candy Apple

    No primeiro swatch é ele concentrado, e no segundo, espalhado com os dedos.  Ah, tem outras cores também, mas eu gosto só dessa mesmo. =P

    Sem falar da hidratação gostosa que ele dá pros lábios o dia todo, e ainda tem um gostinho docinho, mó amorzinho pra dar uns beijos sem culpa. HAHAHAHA!

    Balm Kiss Me Sephora Candy Apple

    Paguei R$45,00 na loja física, e acabei de ver que no site tem dele por R$13,00 (clique), eu tô ofendida por ter pagado tão mais caro. Mas beleza, né?

    Oh, vem ver os tints que falei:

    E aí? Gostam ou não?

    Ruivo Doce de Leite

    Olá, raposinhas! Hoje eu vim compartilhar uma misturinha louca que criou esse ruivo doce de leite, um ruivo mais fechado, com uma base mais fria, matte, sem puxar pro cobre intenso ou dourado.

    Eu sempre quis um ruivo mais natural assim, notava que as meninas que têm as madeixas naturais possuem nuances que as tintas comerciais não conseguem imitar. O fundo do cabelo delas é neutro, e o cobre muda de tom de acordo com a iluminação.

    Ruivo Doce de Leite
    Ruivo Doce de Leite

    Ele foge do ruivo nude (clique) criado pelo Jean Phillipe, pois abre mão do estudo de colorimetria de cor que o Jean maravilhoso faz. Eu apenas adiconei uma cor matte/cinza na mistura pra conseguir essa neutralidade natural. O número “1” na coloração, após o ponto, indica cinza. O número “2” indica matte e o “3” indica dourado.

    O nome “Doce de Leite” veio da Leticia (instagram.com/ajudaleticia), já que seria complicado dizer que ele era um ruivo acobreado dourado matte acinzentado (kkkkk). Ele tem esse fundo mais caramelo, que lembra muito um doce de leite delicinha.

    Mas o passo a passo não foi tão simples assim. Eu estava usando a mega intensa BeautyColor 76.44 (clique), e esse cobre todo iria aparecer com força mesmo neutralizando com a mistura, então foi necessária uma limpeza cosmética.

    Como é feita essa limpeza?

    • 01 medida de shampoo
    • 01 medida de água oxigenada 30 vol
    • 01 medida de descolorante

    Tudo isso aplicado no cabelo úmido e por, NO MÁXIMO, 15 minutos. Não queremos abrir o tom nem descolorir nada, isso serviu apenas para limpar o excesso de cobre o cabelo. Veja:

    O cabelo continuou na base 8, só que mais vívido e limpo sem o cobre super intenso. Lavamos bem, reconstruímos o cabelo e sequei com uma escova macia para desembaraçar para receber a tinta. Por isso meu cabelo ficou com aspecto de ressecado, apenas pelo desmanche dos cachos, ok?

    A mistura usada foi:

    >>> Raiz

    • 01 medida de Keune 7.32;
    • 01 medida de Keune 8.4;
    • ox 30 volumes;
    • 15 minutos.

    >>> Pontas

    • 01 medida de Keune 7.32;
    • 01 medida de Keune 8.4;
    • 01 medida de Keune 7.1;
    • ox 30 volumes;
    • + 30 minutos (45 no total).

    Mas Gleici, por que vocês aplicaram uma tinta 7.1 nas pontas?

    Gente, ainda havia mais pigmento vermelho/cobre nas minhas pontas que necessitavam de uma neutralização maior. Se ele todo estivesse mais dourado como a minha raiz, a mistura em todo o cabelo seria apenas a da raiz, respeitando o tempo de pausa diferente.

    • Tá confuso? Eu expliquei tudo em vídeo:

    Como fazer isso com outras tintas?

    A gente sabe que Keune é luxo, né? Usei porque passei por um processo de descoloração e quis ter um cuidado maior.

    >>> Dá pra fazer a misturinha com:

    • 01 medida de 8.77 ou 7.77 Igora (depende se sua base é 7 ou 8);
    • 01 medida de 7.1 Igora;
    • ox de 30 para abrir mais o tom ou de 20 se seu cabelo é fino e mais claro naturalmente.
    Recado importante: Se o seu cabelo está cobre intenso, recém retocado ou bem fixado com a coloração atual, você DEVE limpar um pouco o cobre antes para não manchar, ok? E não se esqueçam de fazer o teste de mecha antes!

    • Primeira foto: De frente pra luz natural.
    • Segunda: Dia nublado.
    • Terceira: Luz fria.
    • Quarta: No sol.

    Ruivo Doce de Leite

    E aí, gente? Gostaram? Usariam?

    Quem fez meu cabelo foi a Letícia, ela atende em Samambaia DF, próximo ao terminal do metrô. Telefone 061 9 91155282.

    Resenha alchemist holographic Kat Von D

    O post de hoje é proibido para pessoas cardíacas: Resenha Alchemist Holographic Kat Von D. Uma paleta com 04 iluminadores difetentões, absurdamente lindos, pigmentados e surpreendentes.

    Resenha alchemist holographic Kat Von D
    Resenha alchemist holographic Kat Von D

    Eu vi essa neném quando visitei uma loja física da Sephora aqui em Brasília. O preço segurou meu juízo até o momento em que testei o produto no rosto.

    Lembro que fui ao shopping atrás de um iluminador edição limitada da MAC, mas me apaixonei primeiro por esse quarteto e não teve muita negociação, não.

    São 4 cores incríveis:

    • Green (emerald)
    • Ultra-violet (amethyst)
    • Blue (saphyre)
    • Pink (opal)

    Resenha alchemist holographic Kat Von D

    A textura é bem macia, quase aveludada. A pigmentação deles é absurda e, pelo tamanho, a paleta deve durar várias gerações.

    • A Green tem um acabamento esverdeado, mas puxa pra um fundinho dourado, sabe? Na minha opinião, é uma das mais versáteis e a que eu mais uso no meu dia a dia.
    • Já a Blue tem um brilho azul lindo, algo mais artístico e diferente.
    • A Ultra-Violet é bem violeta, chamativa e maravilhosa. É a minha segunda favorita da paleta só por ser tão diferente.
    • Pink é a barbiezinha delicadinha da paleta. Deve ficar maravilhosa em meninas negras pelo fundo rosado/dourado.

    Os iluminadores podem, inclusive, mudar o tom de várias sombras convencionais. É muito versátil e maravilhoso!

    Realmente, não consigo achar defeitos nela além do preço HAHAHAHA.

    Vem ver o vídeo da resenha comigo!

    Quem te viu quem te vê, né? 2015: Não uso iluminador, fico parecendo frigideira com óleo. 2017: PASSA ILUMINADOR EM TUDO SIM!

    HAHAHAAH. Aproveita e veja mais posts de iluminadores faciais e corporais aqui no blog (clique)!

    R$209,00 na Sephora. Tem em loja física e online. Vale a pena procurar revenda porque ela na gringa custa US$35,00.

    Beijo e até mais!

    Resenha Base Pausa Para Feminices na pele oleosa

    O post de hoje é uma Resenha Base Pausa Para Feminices!

    Oi, Gente! Acredito que a maioria de vocês já está sabendo ou ouviu falar da nova novidade que está sendo super comentada por aí: a base matte da Bruna Tavares PPF.

    Eu sempre fui muito fã dela, já acompanhava o blog e estava há eras guardando minhas verdinhas para comprar os batons da linha, então quando saiu a base eu PRECISAVA testar. Não só porque parecia ser uma ótima base, mas porque a cor ficaria certa pra mim (as mais branquelas que nem eu vão saber a dificuldade que é achar uma base nacional que fica na cor certa, quase tudo fica escuro).

    Pois bem, comprei a base no mês passado e aqui estou para passar minhas impressões sobre ela.

    A base

    Resenha Base Pausa Para Feminices
    Resenha Base Pausa Para Feminices

    A linha foi lançada com 8 cores diferentes que vão da mais clara PPF 01 até a mais escura a PPF 08. Agora, conta com mais 8 cores que são intermediárias entre as cores existentes. Como a Bruna conta no blog, ela procurou ser bem democrática atendendo às peles mais claras até as mais negras e possibilitando misturas para chegar nas cores que (ainda) não tenham na linha.

    Ela promete se adaptar em peles secas, mistas e oleosas, graças à composição que conta com vitamina E e óleo de côco que garantem a hidratação ao longo do dia e à microesferas que absorvem a oleosidade, o que garante um controle da oleosidade na pele oleosa e mista. Por ser matte promete um acabamento sequinho e sedoso, com um pé no primer.

    A embalagem é simples, mas é a coisa mais linda do mundo: uma linda sereia cujo tom de pele é diferente de acordo com a cor escolhida. Super fofa e representativa, né?

    O que eu achei dela?

    A base em si é cremosa e beeeem consistente. Estou muito acostumada com as bases da vult que são mais líquidas e escorrem com facilidade, enquanto que a PPF parece um mousse e mantém a forma que pega, sem escorrer, nem afundar no pincel.

    Tem cheiro suave e gostosinho, sem aquele cheiro de maquiagem que algumas bases tem. Tem alta cobertura, secando rápido conforme você espalha na pele – quanto mais espalhar, mais rápido vai secar.

    Depois que seca, fica matte, sem brilho e com toque macio, mas claro que isso depende de como você passa. Se passar com os dedos ou esponja úmida ela fica com um viço maior, um leve brilho de pele saudável.

    O acabamento pode ser reboco (a.k.a. “Oi estou de maquiagem”) ou natural dependendo da quantidade de base que você usar. Levando em conta que ela tem alta cobertura e cobre bem espinhas e manchas na pele, é difícil atingir aquele no make up look em que parece que sua pele é naturalmente linda assim (nem é essa a proposta da base também, se é pra chegar num acabamento mais natural, melhor usar outra base mais leve, tipo a HD da Vult).

    Além disso, como a própria Bruna explicou no blog dela, o acabamento NÃO é opaco. Ele mantém um certo brilho na pele, então se quiserem que a pele fique totalmente opaca tem que usar pó compacto.

    Resenha Base Pausa Para Feminices

    No teste de cobertura que fiz, comparei ela com a base matte da Tracta, a base Matte da Vult, a base Dermacol e a HD da Vult. Nesse quesito a Dermacol é imbatível, mas depois dela vem a base PFF com mais cobertura que a base matte da Tracta, seguida pela matte da Vult e por último fica a HD.

    Eu escolhi a cor mais clara (na época era a cor 1, agora tem a 0,5 que já comprei praa testar) sem nem pestanejar, porque geralmente são sempre as mais claras que dão certo pra mim e mesmo assim algumas marcas acabam ficando escuras (QDB, O Boticário, Maybelline são alguns exemplos de marcas que não tem bases tão claras quanto a minha pele).

    Felizmente a cor deu certo, mas o resto nem tanto (de início). Nas primeiras vezes que passei ela, não sei se foi a quantidade ou a minha pele que estava uma bosta (ou os dois) ela ficou super marcada, craquelada e em questão de meia hora já tava derretendo, saindo na mão, roupa, água, tudo que chegasse perto.

    Minha pele oleosa derrota qualquer base em questão de horas, mas duas a três horas é a média pro sebo começar a vencer (quando uso meu xodó protetor solar da Bioré, dura umas 6 horas sem oleosidade. Ooo saudades). Então quando vi que ela não tava durando nada comigo, entrei em desespero.

    Eu demorei muito pra me ajeitar com ela e conseguir usar, mas sinto que o clima foi peça chave. Quando morava em MS ela simplesmente não dava certo pra mim, foi quando me mudei para Porto Alegre que consegui usar ela.

    Tenho pele oleosa e por isso não uso hidratantes o que é um erro. Em climas muito secos isso faz com que minha pele resseque e produza mais óleo, o que é receita para nenhuma base durar na pele. O que eu fiz foi: usar uma pequena quantidade de base na pele hidratada, com pincel ou esponjinha úmida, espalhar bem e selar com pó.

    A gotinha bem pequena que uso, coloco ela direto no pincel mesmo

    Quando o clima está mais seco eu bebo bastante água para manter a hidratação, deixo a pele hidratada antes de passar a base e uso a esponjinha úmida. Quando o clima está úmido eu dispenso o hidratante e uso a esponja úmida.

    Resultado: pele matte por umas 3 horas, onde o brilho começa a aparecer. Lá pelas 5 a 6 horas de uso começa a sair ao redor do nariz e boca e o vermelho volta a aprecer. É quando eu deveria lavar o rosto e reaplicar, mas a essas alturas eu já estou tão envolvida no trabalho que nem levanto pra beber água, quem dirá retocar a maquiagem.

    Resenha Base Pausa Para Feminices
    Pele limpa X Com base PFF

    Como podem ver ela dá uma marcada nas minhas linhas de expressão (meta para 2018: botox na testa), porém cobre sem dificuldades todas as manchas de espinhas e ameniza horrores minhas olheiras, utilizando só uma gotinha do produto.

    No geral, eu adorei a base e é, atualmente, uma das que mais uso.

    Vocês podem encontrar ela a venda na loja TBlogs Shop por R$35,90 + frete. Veja mais resenhas da PPF clicando aqui.

    Alguém aí já usou?