• Violência durante o sexo: é gosto ou é condicionamento?

    Violência durante o sexo
    Violência durante o sexo

    Violência durante o sexo.

     Venho por meio desse post vos propor uma reflexão: mulheres que “gostam” de atos violentos como tapas, puxões e arranhões durante o sexo com os seus parceiros realmente gostam disso ou foram condicionadas a gostar?

    Desde muito novas a sociedade nos ensina a naturalizar a violência contra a mulher, em qualquer esfera. Quando mais velhas, muitas vezes a tendência é criarmos maiores julgamentos de valor e muitas vezes irmos contra a tudo aquilo que foi naturalizado, como estupros e feminicídios. Mas enquanto isso, de forma muito mais sútil, existem situações como violência durante o sexo. Até que ponto gostamos disso ou fomos ensinadas a gostar?

    Por que os homens gostam de nos bater, sentem prazer ao fazer isso enquanto estão transando? E por que, ainda, esse tão famoso “gosto” se aplica na maior parte dos casos, à nós mulheres? Será que é à toa que a maior parte das pessoas que “gostam” de apanhar durante o sexo são mulheres, e mulheres essas em relacionamentos heterossexuais? Quantas vezes nos submetemos à determinadas situações que não temos total certeza sobre querer de fato aquilo ou não?

    Essa semana eu acompanhei uns debates no Facebook acerca do tema e vi muita gente (mulheres, inclusive) argumentando que é sobre isso que se trata a liberdade sexual, sobre fazer o que quiser na cama sem ninguém meter o bedelho. Mas, pera lá! Em momento algum estamos dizendo o que você tem que fazer ou deixar de fazer durante o sexo.

    A ideia é, única e exclusivamente, propor uma reflexão sobre isso. Sobre o porquê de “gostarmos” disso. Não muito distante disso, esse discurso sobre liberdade sexual nada mais é que mais uma forma que o patriarcado tem de tentar nos dominar. A liberdade sexual feminina é sobre poder dizer não e não ser violentada por isso, e não sobre transar com quantos parceiros quiser.

    É importante pensar em quantas vezes essa satisfação física não vem acompanhada a um sofrimento emocional, o quanto a cultura do homem estando sempre a frente e ao poder de uma mulher não nos influencia. Existem inúmeras formas de fazer sexo, de gozar e de fazer gozar. Mesmo com todas essas formas, por que gostamos da que nos agride? Fazer essa reflexão nada mais é que tentar enxergar além do que estamos habituadas. E por que essa reflexão tem incomodado tantas pessoas nas redes sociais?

    A cultura da violência é fruto da misoginia.

     

    Comentários

    Powered by Facebook Comments

    Deixe o seu comentário!

    O seu endereço de email não será publicado • Campos obrigatórios não podem ficar em branco