• Resenha Éh! Cabelo Seco Nem Pensar

    Hoje é dia de sentar e chorar com a Resenha Éh! Cabelo Seco Nem Pensar. Sabe quando você deposita esperança num tratamento e só encontra decepção? Pois é!

    A embalagem é bonitinha, o propósito é incrível e o cheiro maravilhoso, mas fica só nisso.

    Resenha Éh! Cabelo Seco Nem Pensar

    Segundo o fabricante:

    “Cabelos saudáveis e hidratados! Sua cabeleira profundamente hidratada, com menos danos e frizz, além de selas as cutículas. Fios ressecados e esquecidos? Saia já dessa seca! Com óleo de macadâmia poderosíssimo, nutre e hidrata os fios como você nunca viu! E quinoa, que deixa os fios limpos extracondicionados para matar qualquer inimiga de inveja!”

    Acho bem legal ser sem sal, livre de sulfato e parabenos. Outra coisa a citar é a facilidade de se encontrar a marca, pois aqui em Brasília a gente vê em várias farmácias e perfumarias.

    Adquiri a linha pela indicação de cabelos ressecados, já que o meu vive em função de óleo e reparadores e o clima da minha cidade é insuportavelmente seco.

    img_9836

    Quando apliquei o shampoo (uso a quantidade da foto acima), estranhei o fato dele ser tão adstringente no meu cabelo. Shampoos hidratantes geralmente têm uma limpeza mais suave, né? Enfim.

    img_9840

    A máscara é bem consistente, bem mesmo. É difícil de espalhar no cabelo porque ela não é emoliente. Você gasta o triplo de máscara pra reverter o efeito no shampoo e ainda assim não garante uma maciez no cabelo.

    Péssimo.

    O cabelo continua áspero, absorve mal a máscara e fica ressecado após o processo.

    Contei tudo em vídeo, vem ver:

    Infelizmente a nota é baixa. Recomendo só pra quem tem cabelo oleoso pelo preço mesmo: O shampoo gira em torno de R$13,00 e a Máscara R$20,00.

    E aí? Dei azar com a marca ou vocês conhecem alguma coisa boa pra poder indicar? Conta tudo aí pra gente!

    Comentários

    Powered by Facebook Comments

    Deixe o seu comentário!

    O seu endereço de email não será publicado • Campos obrigatórios não podem ficar em branco